header-logo.png Instituto Kailua
11 dicas para quem quer estudar na alemanha
alemanha, alemão, Dicas, estudar na alemanha, german,

11 dicas para quem quer estudar na alemanha

11 dicas para quem quer estudar na alemanha

Artigo escrito pela Professora Renata Ramisch
A Alemanha atrai muitos estudantes de diversas áreas e tem se tornado um destino de estudos cada vez mais procurado. Seja pela qualidade das universidades, pela possibilidade de cursar matérias em inglês ou pela cultura local, muitos querem garantir a sua vaga na universidade ou mesmo num curso de idiomas no país.
Se você quer estudar na Alemanha, mas não sabe por onde começar, veja as nossas dicas. E comece a fazer as malas!

1.      Defina bem o que você quer e para onde vai

Antes de sair comprando passagens, você vai precisar definir o seu objetivo. Se você já terminou o Ensino Médio e quer cursar uma faculdade, deve saber que o melhor jeito de fazer isso é iniciar os estudos no Brasil. Os alemães precisam fazer uma prova para ingressar na faculdade, o Abitur (algo semelhante ao ENEM no Brasil), e você vai levar um bom tempo se preparando para isso — especialmente se ainda não domina o idioma. As universidades lá geralmente não reconhecem o nosso certificado de conclusão do Ensino Médio, nem a nota do ENEM, mas muitas instituições no Brasil têm parcerias com universidades alemãs ou podem, pelo menos, facilitar seu acesso.
Você também pode estar procurando apenas um curso de alemão. Nesse caso, a melhor opção é encontrar uma escola que forneça cursos para estrangeiros. Um exemplo é o Goethe Institut, que oferece diversas opções (mas não são muito baratas). Outra possibilidade é procurar universidades que ofereçam cursos de alemão como língua estrangeira (DaF – Deutsch als Fremdsprache). Alguns programas de intercâmbio também oferecem boas alternativas nesse caso, basta pesquisar um pouco.

2.      Fique de olho nas bolsas de estudos

Se você tem boas notas e sabe como “vender o seu peixe”, provavelmente encontrará alguma instituição disposta a custear seus estudos. A mais importante delas é o DAAD (Deutscher Akademischer Austauschdienst – Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico), mas existem várias outras.
Além disso, as parcerias entre universidades brasileiras e alemãs geralmente disponibilizam outras opções, seja com financiamento brasileiro ou alemão. Conseguir uma bolsa facilita muito a sua entrada na universidade e a regularização do seu visto, então comece a se candidatar! O importante é não desistir na primeira recusa.

3.      Economize nas taxas

Ainda que a maioria das universidades alemãs sejam públicas, há uma taxa de matrícula, cujo valor varia de acordo com a universidade e o curso escolhidos (em geral, cerca de 300 a 500 euros). No entanto, recentemente foi aprovada a isenção dessas taxas para alguns cursos nas universidades públicas. Nem todos os estados ou universidades adotaram isso, então é bom pesquisar sobre o lugar aonde você pretende estudar.
Além disso, é bom ficar atento às exigências: se você quiser ter essa isenção, vai ter que aceitar as mesmas condições impostas aos estudantes alemães (ou seja, prepare-se para estudar muito).
Estudantes também têm outras vantagens, como contas em bancos livres de taxas e descontos no seguro-saúde e no transporte público. O bom é sempre se informar e procurar as melhores opções!

4.      Não ignore o limite de horas de trabalho para estudantes

Como brasileiro, você não precisa de visto para entrar na Alemanha. Mesmo assim, só pode ficar como turista durante 90 dias na Europa, então precisará regularizar a sua situação assim que chegar. Um visto de estudante permite que você trabalhe apenas 120 dias em turno integral e 240 dias em meio turno.
Durante o semestre, você não poderá trabalhar mais de 20h por semana. Mas não se preocupe, porque o custo de vida é mais barato do que em outros países e, com os vários auxílios a estudantes, é perfeitamente possível sobreviver — e até curtir um pouco. Mas atenção: algumas bolsas de estudos não permitem que você trabalhe paralelamente, então veja o que vale mais a pena para você.

5.      Não subestime a luta dos imigrantes

Se você não possui um passaporte da União Europeia, logo vai sentir na pele as dificuldades e as burocracias enfrentadas pelos estrangeiros. A sua primeira tarefa será se apresentar ao Serviço de Imigração (Ausländerbehörde) da sua cidade e manter sempre organizados e atualizados os seus dados de seguro-saúde, residência e condições financeiras. O registro na prefeitura é fundamental para permitir a sua permanência no país, e algumas universidades até mesmo exigem a comprovação da sua situação para a matrícula.

Além disso, você terá de lidar, às vezes, com preconceitos, especialmente se você não falar o idioma. De forma geral, os alemães são bastante receptivos a estudantes estrangeiros, mas uma minoria ainda pensa que você está lá para roubar o seu emprego. Então não se deixe abalar, mas esteja preparado para eventuais hostilidades (especialmente dos mais velhos).

6.      Prepare-se para preencher formulários

Se você algum dia reclamou de ter de preencher um formulário on-line no Brasil, prepare-se para voltar um pouco no tempo. Formulários são a base de qualquer serviço alemão, público ou privado, então vá se acostumando com a linguagem burocrática e com as cópias — já que a maioria dos formulários ainda é preenchida presencialmente, em papel. Mantenha com você cópias e comprovantes de tudo e procure mantê-los sempre muito bem organizados e à mão.
A documentação não apenas será necessária para o seu registro do Serviço de Imigração, mas também para fazer a matrícula na universidade, abrir uma conta no banco ou mesmo alugar um imóvel. Com o tempo, você se acostuma e pega o jeito de como as coisas funcionam, mas, no início, é melhor sempre ter tudo em ordem e perguntar antes de preencher algum documento que você não entendeu direito.

7.      Aprenda alemão

Há muitos estudantes que vão para a Alemanha, fazem seus cursos e voltam sem saber mais do que 10 palavras no idioma local. Mesmo que muitos alemães falem um inglês impecável e que muitos cursos sejam inteiramente ministrados nesse idioma, saber alemão vai facilitar muito a sua vida.
Você conseguirá se comunicar melhor com os servidores públicos e atendentes de serviços cotidianos, como na farmácia ou na cafeteria. Além disso, vai se sentir mais inserido e aberto a conhecer a riqueza da cultura local. A melhor oportunidade de aprender um novo idioma é estar imerso nele, então não perca essa chance!

8.      Abra a mente para as opções de moradia

Dissemos que o custo de vida na Alemanha é barato, mas se você está pensando em alugar um apartamento amplo só para você, prepare-se para gastar uma fortuna. Não só os aluguéis são caros, como às vezes, em cidades universitárias, é difícil de encontrar um lugar.
A boa notícia é que existem várias alternativas. Muitas universidades oferecem residências para estudantes matriculados — especialmente se forem estrangeiros — por preços bem atrativos. Você ainda poderá procurar uma WG (Wohngemeinschaft), que seria o que conhecemos como república estudantil por aqui. Essa é uma boa opção para fazer amigos e se juntar com pessoas que estão na mesma situação que você.

9.      Estude como um alemão

No Brasil, os alunos estão bastante acostumados a entregar trabalhos de última hora e ouvir o professor lembrar repetidamente sobre prazos e conteúdos de exames finais. E se o aluno for estrangeiro, as universidades brasileiras, de modo geral, vão praticamente carregá-lo no colo.
Não é assim que funciona o sistema alemão. Você precisará ter muita disciplina e estudar bastante, porque as datas das provas serão anunciadas no início do semestre, e o conteúdo será tudo aquilo que foi visto em aula. Você também terá uma série de atividades extraclasse e raramente terá um acompanhamento muito próximo por parte do professor.
Não importa se você é estrangeiro, está tendo dificuldades de adaptação ou não entende bem o idioma, acostume-se desde cedo que ninguém vai paparicá-lo ou pegá-lo pela mão. Estude como um alemão, porque você será tratado como tal.

10.  Aprenda com a experiência alheia

Ao chegar a um país diferente, com uma cultura e uma língua que você provavelmente não domina, é normal ter dificuldades de adaptação. Especialmente se você viajar no inverno, talvez comece a se perguntar se essa foi mesmo uma boa ideia e se você vai aguentar o desafio.
A boa notícia é que você não é o primeiro a se questionar isso e nem será o último. Muitas pessoas antes de você tiveram os mesmos problemas e provavelmente falaram sobre isso em algum fórum, post ou grupo. Procure dicas on-line e, caso ainda se sinta perdido, não hesite em pedir ajuda a quem já passou por isso.

11.  Prepare-se para não querer voltar para casa

A Alemanha é um país incrível, repleto de lugares fantásticos e com uma cultura bastante rica. Então, talvez você termine o seu curso e resolva ficar mais um pouco, quem sabe passear ou arranjar um emprego.
É possível que, mesmo sem perceber, você já esteja chamando esse país de lar, reclamando como um alemão e se sentindo bem à vontade com pessoas assoando ruidosamente o nariz ao seu lado. De repente, você ficou 10 anos na Alemanha e nem notou. E aí, prepare-se para fazer visitas esporádicas ao Brasil, mas regressar a esse país maravilhoso e cheio de possibilidades!
E aí? Decidiu ir estudar na Alemanha e precisa aprender a falar alemão? Então venha para os cursos de alemão do Instituto Kailua!

Compartilhe em suas redes sociais:

RSS
E-mail
Twitter
Visit Us
Follow Me
YouTube
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram

Sobre o autor:

Instituto Kailua

Instituto Kailua

O Instituto Kailua é um negócio social que visa levar a educação a lugares onde ela ainda não chega ou é escassa.

Desenvolvemos um sistema ''um para um'', onde cada aluno pagante financia o ensino de quem ainda não pode pagar.

O IK oferece aulas de inglês, espanhol, francês, alemão, italiano, árabe, iorubá, reforço escolar e muito mais.

0 0 vote
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments