header-logo.png Instituto Kailua
4 macetes para você nunca mais errar o passé composé
aprender francês, aula de francês, curso de francês, Francês, instituto kailua, passé composé, tempo verbal em francês, turma de francês,

4 macetes para você nunca mais errar o passé composé

Você está estudando francês e chegou ao famoso passé composé? Equivalente ao nosso pretérito perfeito, utilizamos esse tempo verbal para falar de algo que começou e terminou no passado. Então, para falar, em francês, “Eu fui ao supermercado ontem”, temos Je suis allé(e) au supermarché hier. Vamos ver mais alguns exemplos?

J’ai acheté une belle robe dans ce magasin [Eu comprei um vestido lindo nessa loja].

Maman a laissé les clefs sur le bureau [Mamãe deixou as chaves sobre a mesa].

Le bébé de Flora est né hier [O bebê de Flora nasceu ontem].

Dá uma olhadinha nessas frases acima. Compare a versão em francês e português. O que você vê de diferente?

Esta é a característica mais importante com relação ao passé composé: como o próprio nome diz, ele é composto. Enquanto, no português, usamos apenas um verbo para falar algo no passado, em francês, precisaremos sempre de dois: o auxiliar, être (ser/estar) ou avoir (ter), e o participe passé, o particípio do verbo principal.

Parece confuso? É só impressão! Como esse tempo verbal e essa lógica de conjugação são superimportantes na língua francesa, decidi fazer um artigo só com alguns macetes que vão ajudar você a se dar bem na hora de falar no passado em francês. C’est parti!

1.     Aprenda par cœur a lista de verbos que devem ser conjugados com ÊTRE

Ao descobrir que dois auxiliares são possíveis na hora de conjugar, sempre bate a dúvida: mas como eu vou saber? E olha que bacana: na verdade, os verbos que formam o passé composé com être são minoria. Em 90% dos casos, você vai usar o AVOIR.

Para facilitar, pensa assim: os verbos conjugados com ÊTRE são todos os verbos pronominais e os verbos da casinha¹.

Vamos por partes. O que é um verbo pronominal? São verbos do tipo se coucher, se lever, se maquiller. Eles pedem o que chamamos de pronom réfléchi [me/te/se/nous/vous/se]. Então, no passé composé, fica assim:

Je me suis couché(e) tôt hier [Eu deitei cedo ontem]

Sujeito + pronom réfléchi + être + participé passé

E os verbos da casinha? São estes aqui:

Essa casinha, inclusive, é bem famosa. É possível ouvir falar desses verbos como de movimento, ou deslocamento, mas isso pode causar certa confusão. Marcher (andar) ou danser (dançar) podem ser remetidos a movimento, mas se conjugam com avoir. Por isso, foque a casinha e aprenda de có a listinha.

Sabe por quê? A lógica do passé composé é usada em outros tempos verbais do passado em francês, como conditionnel passé, futur antérieur… Então, aprendendo bem os verbos com être, você não terá dificuldade de formar os outros tempos verbais. Pense se tratar de um investimento de longo prazo!

2. Não se esqueça do famoso acordo no feminino e/ou plural na hora de escrever

No passé composé, todos os verbos conjugados com o verbo être pedem o accord du participe passé. Ou seja, se o sujeito for feminino, devemos acrescentar a marca do feminino (-e) ao particípio do verbo. Veja só:

Ça fait 5 minutes que Fernanda est sortie [Faz cinco minutos que Fernanda saiu].

É por isso que, nos exemplos que fiz acima, coloquei sempre (-e) no particípio. Afinal, é outra possibilidade!

Se o sujeito for plural, ele deve receber a marca de plural: o -s. Vamos ver um exemplo?

Nous sommes arrivés tôt [Chegamos cedo].

E se o sujeito for plural E feminino? Uma coisa não exclui a outra! Por isso, o acordo vai ser duplo: acrescentar -e e -s.

Les filles sont nées le 23 juillet [As meninas nasceram 23 de julho].

Uma vantagem: como não pronunciamos o -s e o -e não acentuado em final de palavras, essas variações inexistem na fala: assim, je suis sorti e je suis sortie são ditos da mesma maneira.

Porém, fique atento durante a revisão de suas produções escritas: em um e-mail, uma mensagem WhatsApp ou durante um exame, essa questão é superimportante! Outra vantagem é que essa necessidade de concordância também ocorre em todos os tempos verbais compostos.

3.   Pratique os particípios irregulares

No primeiro grupo, dos verbos terminados em -ER, como parler [falar] e manger [comer], o participe passé é bem tranquilo de montar: só tirar o -ER e colocar o -É.

Assim: J’ai parlé, j’ai mangé. Com verbos em -IR, como finir [terminar] e dormir [dormir], também é bem tranquilo: só tirar o -R: J’ai fini, j’ai dormi.

Porém, alguns verbos apresentam particípios irregulares. É o caso do pouvoir [poder]. No passé composé, ele vira j’ai pu. Faire, por exemplo, vira j’ai fait. Lire, j’ai lu.

Como memorizá-los? Praticando. Não se preocupe, no início é mais complexo, pois parece uma lista enorme. Porém, lembre-se sempre: contexto é tudo. Não adianta querer simplesmente memorizar a lista: é preciso empregar esses particípios no seu dia a dia.

Além dos clássicos exercícios, muitos disponíveis online, em sites como Français Facile, tente formular frases todos os dias, seja por escrito, seja oralmente. Coloque uma meta diária (e realizável para você!) e mão à obra. E saiba que aqui também será uma economia de tempo: o participe passé é o mesmo para todos os tempos verbais que o pedem!

4.     Conte para você mesmo o seu dia

Uma dica para colocar em prática todas as anteriores de uma vez: sabe o diário? Em francês, ele é chamado de journal intime. Faço-o em francês! Ao final do dia, tente pensar nas atividades que fez hoje e em como você se sentiu. Para não ficar cansativo e treinar tanto a oralidade quanto a escrita ao mesmo tempo, faça de forma intercalada.

Num dia, faça oralmente, gravando um áudio espontâneo — que é ótimo para melhorar a pronúncia. No outro, faça um pequeno textinho. Não se esqueça de realizar uma revisão cuidadosa, utilizando como auxílio sites para turbinar o seu francês, como o BonPatron, corretor online gratuito.

Com essas dicas, você vai cometer cada vez menos erros ao conjugar no passé composé e, em pouco tempo, dominará a formação e o uso desse tempo verbal tão importante em língua francesa. De quebra, terá muito mais facilidade, no futuro, para aprender outros tempos verbais compostos.

Curtiu esses macetes? Se não quiser perder mais dicas de estudos de idiomas, siga o Instituto Kailua no Facebook e no Instagram!

¹ Aprendi essa forma prática de lembrar (e ensinar!) a listinha do être com a fofíssima professora Mari Apoteker<3

Compartilhe em suas redes sociais:

RSS
E-mail
Twitter
Visit Us
Follow Me
YouTube
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram

Sobre o autor:

Larissa Mendes

Larissa Mendes

Larissa Mendes é graduada em Letras Português-Francês pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e mestranda em Literatura Francesa pela mesma instituição. Foi monitora de Francês do CLAC (Curso de Línguas Aberto à Comunidade) da UFRJ para diversos níveis, incluindo francês conversação e francês para leitura, além de atuar como professora particular de francês para objetivos diferentes (conversação, cursos regulares e preparação para exames como DELF e TCF).
Tem certificado DALF C1 em francês, tendo morado em Lyon, enquanto assistente de língua portuguesa, e em Nice, como parte do mestrado, numa bolsa sanduíche Erasmus+. Apaixonada pela língua francesa e sempre com ensino bem personalizado, espera ajudar seus alunos a alcançar sonhos por meio do conhecimento dessa belíssima língua!

5 1 vote
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alice Tkotz
7 dias atrás

O passé composé é assustador no início, mas essas dicas ajudam muuuuuuito! ❤️❤️❤️ Merci beaucoup ! 🥰