header-logo.png Instituto Kailua
#AVIDALAFORA – CANADÁ – VALE A PENA IMIGRAR?
canadá, dólar canadense, Francês, imigração, Inglês, mudança, passaporte, visto,

#AVIDALAFORA – CANADÁ – VALE A PENA IMIGRAR?

Canadá

 
Nós já falamos por aqui sobre o Canadá, mas no que diz respeito a se transformar em um intercambista, lembra? Dá uma olhada aqui! Mas agora vamos dar foco a conquistar uma residência fixa por lá. Será que vale mesmo a pena imigrar para o Canadá? 
 

Características Gerais

Como sempre, começamos dando um panorama mais geral do país para que você conheça aquilo que ainda não sabe. O Canadá é um país do hemisfério norte, que faz fronteira com o sul dos EUA e com o Alasca, além de ser o segundo país do mundo em extensão territorial. Possui Ottawa como capital e o inglês e o francês como línguas oficiais, ainda que o primeiro seja mais falado que o segundo. O Canadá tem o dólar canadense como moeda oficial, mas alguns estabelecimentos acabam aceitando o dólar americano (mas, não se acostume com isso e dê preferência à moeda local). 

Como morar no Canadá? 

Você tem alguns modos de imigrar para o Canadá e vamos fazer o melhor para te explicar todos eles, mas quaisquer dúvidas, procure pelo Consulado Canadense mais próximo da sua casa. Você encontra a lista dos escritórios aqui. Agora, vamos as formas de imigração? 

Através de vistos de estudo:

Nós falamos sobre a questão dos vistos de estudo para o Canadá em outro artigo, comentando sobre os tipos existentes, que são principalmente:

 

  •  Visto de turismo (V-1) – Para aqueles que vão apenas conhecer o Canadá, sem o objetivo de ficar por muito tempo no país. Para ele, não é concedido o direito de estudar, a menos que se trate de cursos com até 24 semanas, ou trabalhar.
  • Visto SX-1 – Para aqueles que pretendem realizar cursos de até 24 semanas. É necessário ter em mãos uma carta de aceitação da escola onde irá estudar. Sua diferença para o visto anterior é que este foi criado focando apenas naqueles que querem estudar no país.
  • Permissões de Estudo (Visto S-1 ou Visto SW-1) – Se você vai para o Canadá estudar por mais de 24 semanas, estes são os vistos certos. Novamente irá precisar de uma carta de aceitação da escola onde irá realizar seu curso. Qual a diferença entre eles? O SW-1 é feito para os cursos que pedem um estágio obrigatório para a conclusão, ou seja, o estudante precisará trabalhar para se formar (e, com este visto não há a necessidade de um visto de trabalho). O S-1 é feito para aqueles que vão apenas estudar.
Através de vistos de trabalho:

Algumas profissões não precisam de visto para entrar no Canadá, mas em outras é imprescindível que você tenha toda a documentação certinha. Para isso, você irá precisar de uma proposta de emprego de alguma empresa canadense para começar o processo do seu Work Permit. Existem, então, duas possibilidades:

 
 

  • Autorização de trabalho específica do empregador – Neste caso, você deve pedir uma permissão (proposta) de trabalho específica para o empregador, fazendo com que o governo compreenda que ele está disposto a te empregar dentro da lei e que você irá trabalhar também de acordo com aquelas condições determinadas.
  • Permissão de trabalho aberta – Ou, você pode pedir uma permissão aberta, que te permite trabalhar para qualquer empregador no Canadá, exceto pelos empregadores que não cumpriram as condições ou aqueles que oferecem serviços regulares de striptease, dança erótica, serviços de acompanhantes ou massagens eróticas. No entanto, existem apenas algumas situações em que a permissão aberta se aplica. Confira aqui quais são elas.
  • Express entry – Este é um sistema online do governo canadense para gerenciar as solicitações de entrada para trabalhadores qualificados. O express entry é uma forma de imigrar para o país sem uma proposta de emprego, mas mostrando que você tem algo a oferecer ao país. Para se mostrar qualificado, você precisa comprovar algumas coisas como nível de idioma, escolaridade, entre outros requisitos. Você encontra todas as informações para esta modalidade aqui.

Uma dica para saber mais sobre essa forma de entrada e sobre o Canadá é seguir o @levaumcasaquinhocanada, eles são uma família carioca tentando imigrar para o país e contam os detalhes do processo pelo Instagram e YouTube. Agora, saindo um pouco das questões burocráticas, vamos apresentar alguns pontos positivos e negativos da mudança. Preparados?

Pontos positivos

Qualidade de vida e empregos – O Canadá é considerado o país mais educado, de acordo com pesquisas de 2017 da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Além disso, existem grandes oportunidades de emprego para os imigrantes (que só crescem em número) qualificados. 
Aprendizados linguísticos – Como o Canadá possui dois idiomas oficiais, as possibilidades de aprendizado são ainda maiores. Claro que você deve comprovar proficiência para a maioria dos vistos, mas nada te impede de aprender mais. 

Pontos negativos

Custo de vida – Ainda que seja um país com uma boa oferta de empregos, os padrões de algumas cidades, principalmente as mais populares como Vancouver, Toronto e Ottawa, ainda são altos. Se manter no Canadá é custoso, mas o dólar canadense (ainda que menos valorizado que o americano) está mais em alta que o real. Mas, lembre-se: não adianta converter, porque você irá receber e gastar em dólar. 
Clima – É um ponto a ser considerado por muitas pessoas que pensam em mudança. Os invernos canadenses são bastante rigorosos, com ventos bem fortes e muita neve. Então, para se aventurar nessa, lembre-se que irá trocar um país tropical por um de estações mais bem definidas. 
 
E aí, o que você pensa sobre se mudar para o Canadá? Vale a pena imigrar? Conta pra gente nos comentários! 
 
 
 

Mayra Bragança

Compartilhe em suas redes sociais:

RSS
E-mail
Twitter
Visit Us
Follow Me
YouTube
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram

Sobre o autor:

Instituto Kailua

Instituto Kailua

O Instituto Kailua é um negócio social que visa levar a educação a lugares onde ela ainda não chega ou é escassa.

Desenvolvemos um sistema ''um para um'', onde cada aluno pagante financia o ensino de quem ainda não pode pagar.

O IK oferece aulas de inglês, espanhol, francês, alemão, italiano, árabe, iorubá, reforço escolar e muito mais.

0 0 vote
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments