header-logo.png Instituto Kailua
Sabia que ”Gerúndio” e ”Gerundismo” são coisas diferentes?
gerundio, gerundismo, lingua portuguesa, português, redação,

Sabia que ”Gerúndio” e ”Gerundismo” são coisas diferentes?

Gerúndio x Gerundismo

Escrito por: Natália Ricardo

Antes de começarmos a falar sobre as diferenças entre gerúndio e gerundismo, temos algumas perguntas: Você sabe utilizar o gerúndio? Você sabe o que é gerundismo? Se você ficou em dúvida ou não sabe responder com exatidão, o Instituto Kailua explicará a diferença entre eles neste post.

Gerúndio e gerundismo são termos diferentes e não devem ser confundidos.

O gerúndio, bem como o infinitivo e particípio, são formas nominais do verbo. Sendo assim, quando um verbo está flexionado, as características inicias são substituídas. Observe a seguir alguns casos:

1. O gerúndio, quando utilizado antes da oração principal, indica uma ação iniciada previamente.

  • Entrando na fazenda, percebi que o estábulo estava limpo.
  • Fazendo de conta que não estava entendendo, não pagou o que devia.

2. O gerúndio, quando utilizado com o verbo principal da oração, indica simultaneidade.

  • Ouvi sorrindo tudo o que meu chefe pensa sobre mim.
  • Dormi pensando nas palavras dele.

3. O gerúndio, quando utilizado depois da oração principal, indica uma ação consecutiva.

  • Foi para o bar após a reunião, esperando por nenhuma amiga.
  • Maria não conseguiu entender o objetivo da reunião, ficando chateada.

4. O gerúndio, quando utilizado após preposições, indica uma hipótese.

  • Em se tratando de viagens, Luísa é a mais indicada para fazer perguntas.
  • Em se considerando o uso da violência, não contem mais com a minha contribuição.
  • Nos casos acima, o gerúndio foi formado com o acréscimo da desinência –ndo.

O gerundismo é formado com um verbo no infinitivo e outro no gerúndio com o objetivo de reforçar a ideia de continuidade. Tal forma é considerada por muitos estudiosos como um excesso linguístico.

Para melhor compreensão, observe as sentenças a seguir:

  1. A empresa vai estar marcando o dia para trazer os documentos necessários.

A construção aceita pela norma padrão da língua seria:

  • A empresa marcará o dia para trazer os documentos necessários.

Ou

  • A empresa vai marcar o dia para trazer os documentos necessários.

2. Manoela vai estar completando seis anos no mês que vem.

A construção aceita pela norma padrão da língua seria:

  • Manoela completará seis anos no mês que vem.

Ou

  • Manoela vai completar seis anos no mês que vem.

3. A professora vai estar corrigindo as provas assim que possível.

A construção aceita pela norma padrão da língua seria:

  • A professora corrigirá as provas assim que possível.
  • A professora vai corrigir as provas assim que possível.

Como podemos observar nas sentenças acima, devemos sempre optar pelas construções mais simples.

Cabe salientar que o emprego do gerúndio não deve ser extinguido, haja vista que o seu papel é desempenhado adequadamente na maioria dos casos. Embora muitos linguistas acreditem que a construção do gerundismo possa ser inserida na gramática normativa, a utilização deve ser avaliada, sobretudo em provas discursivas e redações.

O uso do gerundismo é constantemente tema de diversas discussões. Nesse sentido, sugerimos que o bom senso seja utilizado. Afinal de contas, conforme demonstrado nas sentenças elencadas acima, não há razão para utilizar três verbos em uma construção.

É sabido que, quando falamos com pessoas próximas, utilizamos a linguagem conhecida como coloquial. Isso é, as palavras soam despretensiosamente e com espontaneidade. Contudo, em alguns momentos, é importante levar em consideração o ambiente em que estamos inseridos. Quando há exigência, devemos utilizar a linguagem formal, que segue as regras das normas gramaticais.

Palavras podem ser proferidas com flexibilidade nos discursos orais quando estamos entre amigos ou em um ambiente informal. Entretanto, ao nos prepararmos para uma palestra ou redigir um texto, por exemplo, sugere-se que sejam seguidas as normas da língua padrão da língua portuguesa.

Cabe acrescentar que o preconceito linguístico está relacionado às variações linguísticas. É importante ter em mente que cada região possui uma peculiaridade, que inclui aspectos históricos e culturais. Todas as variações são adequadas e nenhuma delas deverá ser considerada errada, tampouco vista com superioridade.

Lembre-se que, quando estamos lendo, observamos a realidade de outra pessoa, ainda que fictícia. O processo de leitura nos permite sentir compaixão, analisar diferentes perspectivas e até mesmo entender os sentimentos do outro, ainda que sejam diferentes dos nossos. Com isso, a escrita e a criatividade tendem a ficar mais enriquecidas.

Portanto, uma vez que você leia bons livros, conseguirá identificar não apenas o uso adequado do gerúndio, mas também as nuances da língua portuguesa.

Compartilhe em suas redes sociais:

RSS
E-mail
Twitter
Visit Us
Follow Me
YouTube
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram

Sobre o autor:

Natália Ricardo

Natália Ricardo

Nascida no interior do Rio de Janeiro e formada em Letras pela UERJ. Eu cresci rodeada de livros e hoje me encanta ler e ouvir histórias. Uma pessoa apaixonada por culturas diferentes, dias de sol escaldante e mar convidativo. Adoro viajar, ler bons livros e assistir filmes de suspense.

0 0 vote
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments