header-logo.png Instituto Kailua
Pensando em ir para a China? Confira algumas dicas importantes!
China, preparativos, viagem,

Pensando em ir para a China? Confira algumas dicas importantes!

Preparativos para uma viagem à China

Artigo escrito pelo professor Mário Augusto

Em um primeiro momento, a ideia de viajar para China pode assustar algumas pessoas: idioma complicado de se entender, cultura muito diferente da brasileira, medo de violência ou de uma recepção ruim por parte do povo chinês, pobreza e sujeira nas ruas dentre outros fatores. Mas, saibam desde já que todo esse pensamento não reflete a realidade do que seja a China e da maravilhosa experiência que é visitar este país. Morei lá por um tempo e ajudarei a quebrar certos tabus com relação à China e dar valiosas dicas para quem deseja viajar para lá. 

Em primeiro lugar, os preparativos iniciais merecem toda atenção pois corre-se o risco de nem se começar a viagem. Assim, se pretende viajar para China, duas coisas são fundamentais antes de tudo: obter o certificado internacional de vacinação e profilaxia e solicitar visto junto ao Consulado, que fica em Botafogo, perto do Botafogo Praia Shopping. A entrada no país é rigorosamente controlada, ou seja, se tiver problemas em algum desses dois itens, certamente será barrado sem direito a quaisquer apelações. 

Para se obter o visto deve-se apresentar toda a documentação relativa à viagem: passagens de ida e volta, reservas de hotel, trajeto que fará, dias que ficará no país e explicitar os motivos da viagem. Se desejar ir à Shangai ou Hong Kong, deve-se fazer um procedimento diferente. A análise da solicitação não é demorada, mas se houver urgência no pedido, pode-se optar em pagar a mais para isso e ter a resposta em tempo menor. Cuidado com preenchimento da documentação pois são bastante rigorosos na análise. Se o visto for para trabalho, o procedimento é diferente e, neste caso, é fundamental apresentar uma carta convite da empresa em que irá trabalhar. Atenção: cuidado com ofertas de negócio estranhas por parte de empresas que se dizem da China. Nenhuma empresa chinesa deixa de emitir carta convite com a identificação expressa do trabalhador. Detalhe: não deixe passar um dia sequer da validade do visto, pois terá 95% de chances de ser barrado na saída do país e ter de voltar para efetuar pagamento de multa pelos dias de permanência excedentes. E sim, irá perder o voo e terá de adquirir outra passagem.

Sobre a viagem, esta é longa e feita com escalas. Para quem sai do Rio ou de SP, a melhor opção é voar Emirates, fazendo escala em Dubai e de lá embarcando para Beijing. Se o destino final da viagem não for Beijing, aconselho que optem voar pela Air China. Pode-se até adquirir a passagem no Brasil mesmo, pela internet, sem problemas. As razões em se optar pela Emirates são as melhores possíveis: voos com conexão longas em Dubai não exigem que se pague por um visto de trânsito para acesso ao país, e em caso de escalas com permanência de 6 ou mais horas em Dubai, pode-se solicitar, antecipadamente, à Emirates hospedagem e traslado grátis do aeroporto para o hotel em Dubai. Tudo isso sem ter pagar nada a mais e válido inclusive para classe econômica. Outra razão: as refeições são excelentes e inclusas, assim como a variedade de bebidas servidas. E a tripulação é extremamente atenciosa. Outra razão bastante interessante é que qualquer compra feita no aeroporto de Dubai, inclusive bebidas, pode ser levada em bagagem de mão no trecho seguinte, sem necessidade de ser despachada. E considerando que os preços no aeroporto de Dubai são muito menores que os praticados na Duty Free do Galeão, vale super a pena. A última das razões em se optar pela Emirates é que, sem qualquer motivo aparente, na hora de se fazer o check-in de embarque algum funcionário pode perguntar se você gostaria de um upgrade de classe sem qualquer custo extra, ou seja, pode ter comprado classe econômica e na hora voar de classe executiva. Lógico que isso é opcional e ninguém irá obrigá-lo a voar no segundo andar do avião, com serviço diferenciado, mais espaço nas poltronas e etc. Um sofrimento ter de aceitar isso. 

Uma dica de grande importância é sobre a compra de Yuan (também chamado de rmb). Pode ser feita normalmente no Brasil, por cotações inferiores às que teria na China. Há certas casas de câmbio em Copacabana que trabalham com a moeda chinesa. A outra opção é efetuar a compra na China, em algum banco chinês – China Bank ou China Construction Bank, por exemplo – ao chegar na cidade em que ficará. Nesse caso, terá de portar dólares ou euros e fazer a conversão de acordo com a cotação chinesa praticada. Mas é tudo registrado e será necessário registrar-se no banco com o passaporte. Comprovantes são emitidos de forma regular. Pode-se optar, também, por efetuar saques diretos de sua conta no Brasil em alguns caixas automáticos de certos bancos e, assim, obter moeda estrangeira. Válido para correntistas do Banco do Brasil. Contudo, a tarifa cobrada pelo Banco é bem alta. 

 

Enfim, espero que estas dicas possam ser úteis aos que desejam viajar para China, viagem que certamente ficará para sempre na memória. No próximo artigo darei dicas sobre a estada na China e algumas particularidades bastante importantes sobre os costumes e hábitos dos chineses, dicas que serão fundamentais para os que querem conhecer a China.

 

Compartilhe em suas redes sociais:

RSS
E-mail
Twitter
Visit Us
Follow Me
YouTube
YouTube
LinkedIn
Share
Instagram

Sobre o autor:

Instituto Kailua

Instituto Kailua

O Instituto Kailua é um negócio social que visa levar a educação a lugares onde ela ainda não chega ou é escassa.

Desenvolvemos um sistema ''um para um'', onde cada aluno pagante financia o ensino de quem ainda não pode pagar.

O IK oferece aulas de inglês, espanhol, francês, alemão, italiano, árabe, iorubá, reforço escolar e muito mais.

0 0 vote
Avaliação do artigo
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments